Cirurgias Reparadoras

O que é a cirurgia reparadora?

A cirurgia plástica reparadora tem como objetivo corrigir lesões deformantes, defeitos congênitos ou adquiridos e é considerada tão necessária quanto qualquer outra intervenção cirúrgica. Exemplos de cisto e câncer de pele, sequelas em pacientes queimados, acidentados e ex-obesos pós cirurgia bariátrica.

Procedimentos

As cicatrizes são sinais visíveis que permanecem após uma ferida ser cicatrizada, sendo resultado inevitável de lesão ou cirurgia, e seu desenvolvimento pode ser imprevisível. A má cicatrização pode contribuir para o surgimento de cicatrizes desfavoráveis.

Mesmo uma ferida que cicatriza bem pode resultar em cicatriz precária em sua aparência. Suas opções de tratamento variam de acordo com o tipo e o grau de cicatrização e podem incluir tratamentos tópicos simples, procedimentos minimamente invasivos e revisão cirúrgica com técnicas avançadas de fechamento da ferida.

A cirurgia de correção de cicatriz destina-se a minimizar a cicatriz de modo que fique mais uniforme com o seu tom de pele e a textura circundante. Apesar da correção da cicatriz proporcionar resultado estético mais agradável ou melhorar uma cicatriz que tenha má cicatrização, uma cicatriz não pode ser completamente apagada.

O procedimento remove cirurgicamente as lesões cancerígenas e demais lesões da pele utilizando técnicas especializadas para preservar sua saúde e aparência. Ouvir que se tem um diagnóstico de “câncer” é muito difícil de aceitar e compreender que tratar o câncer de pele pode resultar em cicatrizes ou desfiguração também.

O cirurgião plástico entende as suas preocupações e irá direcioná-lo ao procedimento correto e lhe explicará o efeito resultante em sua saúde e aparência. Embora nenhuma cirurgia fique sem cicatrizes, o será feito o possível para tratar o câncer de pele sem mudar radicalmente sua aparência.

Para algumas pessoas, a reconstrução pode exigir mais de um procedimento para que se obtenham os melhores resultados.

A reconstrução da mama é conseguida através de várias técnicas de cirurgia plástica que tentam restaurar a mama considerando-se a forma, a aparência e o tamanho após a mastectomia. A reconstrução da mama é um procedimento física e emocionalmente gratificante para uma mulher que perdeu a mama devido ao câncer ou a outra situação.

Uma nova mama pode melhorar radicalmente sua autoestima, autoconfiança e qualidade de vida. É importante ressaltar que a cirurgia irá lhe dar uma mama relativamente natural, porém, a mama reconstruída nunca será igual a mama que foi removida. É importante que você se sinta pronta para o aspecto emocional envolvido na reconstrução de mama.

Pode levar algum tempo para aceitar os resultados da reconstrução.

Após a cirurgia de redução de peso, ou qualquer perda substancial de peso, a pele e os tecidos, muitas vezes, não têm elasticidade e podem não estar em conformidade com o tamanho reduzido do corpo. Como resultado, a pele, que foi severamente estendida, agora não tem sustentação. Os principais incômodos são braços flácidos, mamas achatadas e com mamilos apontados para baixo, abdômen estendido nas laterais e zona inferior das costas o que resulta numa saliência semelhante a um avental.

Nádegas, virilha e as coxas podem apresentar flacidez, ocasionando bolsas suspensas de pele. A intervenção cirúrgica de contorno corporal melhora a forma e o tônus do tecido subjacente, que sustenta gordura e pele, e remove o excesso de gordura e flacidez. O resultado é uma aparência mais normal do corpo, com contornos suaves.

Esta é, em essência, a fase final do processo de perda de peso.

As queimaduras são classificadas, de acordo com a profundidade, em primeiro grau, que envolve a epiderme, a camada mais superficial da pele; segundo grau onde epiderme e a derme são afetadas; e terceiro grau que abrange toda a espessura da pele, podendo acometer tecidos mais profundos. A cirurgia plástica possui um papel importante no tratamento das queimaduras, tanto após a ocorrência quanto nas sequelas características.

É um processo demorado e precisa de empenho e paciência do médico e do paciente. O cirurgião plástico define as técnicas que irá utilizar para o tratamento de acordo com a extensão e a profundidade das queimaduras.

A hiperidrose é uma condição benigna caracterizada pela ocorrência de suor excessivo em áreas localizadas do corpo, causando um incômodo e constrangimento social.

Comum em áreas como mãos, axilas, rosto/face, couro cabeludo, nádegas, virilhas e pés. Geralmente esse suor ocorre de forma episódica (aparece e desaparece), várias vezes ao dia, tanto em dias quentes quanto em frios.

Uma das opções terapêuticas mais eficaz para casos leves é o uso da toxina botulínica que leva a uma melhora completa, porém temporária da hiperidrose.

A redução de mama para os homens é a correção cirúrgica das glândulas mamárias demasiadamente desenvolvidas ou grandes.

A ginecomastia é uma condição comum em homens de qualquer idade, podendo ser resultado de alterações hormonais, condições de hereditariedade, doença ou utilização de certas medicações, podendo ocorrer unilateralmente ou bilateralmente.

A ginecomastia pode causar desconforto emocional e prejudicar a autoconfiança. Alguns homens passam a evitar determinadas atividades físicas e intimidade simplesmente para esconder sua condição com a pele. Já os casos mais extremos, em que geralmente a pele é mais rígida, o procedimento mais indicado é a técnica de âncora, que acaba deixando uma cicatriz mais visível, mas ainda sim com contornos ideais.

Agende uma consulta